Utilização da Fibra Óptica em CFTV

Parte 2 - Fibra Óptica x Cabeamento Metálico

 

Por Eng. Claudio de Almeida

 

Esta é a segunda parte de uma série de artigos sobre a utilização da fibra óptica em CFTV. Se você não viu a primeira parte, recomendo que a leia antes, clicando neste link: Parte 1 - Introdução

Comparativo projetos com cabo Fibra ótica x cabos metálicos

 

Comparando os cabos de fibra ótica com os cabos metálicos mais utilizados em CFTV  - os cabos coaxiais e os cabos UTP -, temos:

 

 

Quando é recomendado utilizar-se fibra óptica?

 

Existem certas situações que somente a fibra óptica consegue atender:

 

Ambiente industrial

 

Em locais onde existe muita interferência eletromagnética devido à presença de máquinas, motores, alimentação trifásica e cabos de alta tensão, a fibra óptica é a única opção recomendada, pois é feita de material isolante. Além disso, apenas feixes de luz trafegam por ela, tornando-a totalmente imune à interferência eletromagnética.

 

Outra grande vantagem é a não necessidade de se utilizar uma calha separada para dados, pois os cabos de fibra óptica podem ser passados pela mesma calha onde passam os cabos de alta tensão.

 

Instalações externas (outdoor)

 

Quando as câmeras estão instaladas à uma grande distância da sala de segurança, como acima de 500 m ou 1000 m, por exemplo, normalmente estamos falando de câmeras outdoor, instaladas em muros ou postes na área externa do empreendimento.

 

Nessas condições, se o cabeamento for metálico, ele atuará como um para-raios, podendo contribuir para que todo o sistema instalado seja danificado na primeira tempestade com raios.

 

Eu vivenciei essa situação muitas vezes em uma empresa onde trabalhei, que só foi remediada quando passamos a utilizar somente fibra óptica para estas situações.

 

Portanto, minha recomendação é: Evite utilizar cabeamento metálico para câmeras externas distantes, quando os cabos têm que passar por locais abertos, principalmente em regiões com alta incidência de raios.

 

Tubulação congestionada

 

Em expansões de sistemas de CFTV existentes ou quando o local já está pronto e não foi prevista uma tubulação própria para CFTV, a utilização de fibra óptica é a melhor opção, pois:

 

- Seu diâmetro é muito menor do que o de um cabo metálico, podendo passar melhor por um eletroduto já congestionado. Além disso, como já vimos acima, uma única fibra é suficiente para levar o sinal de várias câmeras;

 

- Pode ser passada em eletrodutos ou calhas junto com cabos elétricos;

 

- Dependendo do tipo de capa escolhido, pode ser enterrada em jardins, mesmo sem a utilização de eletrodutos;

 

- Mesmo que seu custo de aquisição seja maior (custo da fibra + conversores), a economia e a dor de cabeça evitadas pela não necessidade de se quebrar paredes para passar eletrodutos ou instalar novas calhas para passar os cabos das câmeras, acaba fazendo com que  o custo final e o stress causado pela obra sejam menores.

 

Breaking point: Quando vale à pena utilizar fibra óptica?

 

Não existe uma solução ideal que atenda à todas as situações. Sempre deve-se analisar qual é o melhor tipo de cabeamento a ser utilizado. Se sua obra não se encaixa em nenhuma situação comentada no item anterior, onde a utilização de fibra óptica seria praticamente obrigatória, procure analisar se não existirão situações ou trechos onde a fibra óptica seria mais interessante.

 

Para fazer esse cálculo, procure analisar, para cada câmera, conforme a distância e o tipo de cabo  (coaxial, UTP ou fibra óptica), o custo do cabo em si, dos conversores (exceto para o cabo coaxial), da infraestrutura e da mão de obra.

 

Como a fibra óptica é menos exigente quanto à infraestrutura, você vai perceber que, a partir de uma determinada distância (o breaking point), vai começar a valer a pena utilizar-se fibra óptica.

 

Lembre-se que não é obrigatório que se use um único tipo de cabo para todas as câmeras e que, a partir do ponto em que se torne economicamente viável, a fibra óptica sempre é a melhor opção.

 

Outras vantagens da fibra óptica

 

A fibra óptica apresenta outras vantagens, talvez não tão óbvias, mas que considero as mais fascinantes:

 

Durabilidade

 

Essa já foi mencionada na tabela, mas merece ser salientada. A fibra óptica é praticamente imune à ação do tempo, pois não oxida e não envelhece como os cabos metálicos.

 

Tecnologia que perdura

 

Com o evento das câmeras HD, já se fala em cabos coaxiais e conversores de par trançado específicos para atender essas câmeras.

 

Já é certo que as câmeras com resolução 4K precisarão de cabos ainda melhores.

 

Isso significa que, para se atualizar um sistema, será necessário trocar todo o cabeamento, o que representa 80% do tempo de instalação de uma obra.

 

Devido à altíssima banda passante  que suportam, pode-se dizer que uma instalação com fibra óptica vai demorar muito para se tornar obsoleta. Basta trocar os conversores das pontas e o cabeamento já está pronto para atender a nova tecnologia.

 

Versatilidade

 

Na minha opinião, essa é maior vantagem da fibra óptica.

 

Vamos pegar o exemplo de um edifício inteligente: São passados cabos coaxiais ou UTP para o sistema de CFTV, cabos manga para o sistema de alarme, cabos UTP para a rede de dados; além do cabeamento especifico para automação predial e incêndio, que pode ser UTP ou não, dependendo do tipo de sistema adotado.

 

Se passarmos apenas fibras ópticas ligando os diversos pontos do edifício, não precisaríamos nos preocupar com os diferentes tipos de cabos a serem passados, pois o que vai decidir que tipo de sinal será conduzido pela fibra serão os conversores instalados nas extremidades.

 

Nesse caso, a versatilidade é enorme, pois por uma única fibra pode-se passar diferentes tipos de informação.

 

Existem conversores que passam, em uma única fibra: sinais de vídeo, de áudio bidirecional, de rede, de controle/dados (RS232/RS485), de telefonia, de alarme (entrada e saída), etc.

 

Sendo assim, um ponto que tinha apenas uma controladora de acesso, pode passar a receber o sinal de vídeo de uma câmera recém instalada no local, sem que seja necessário passar um novo cabo. Basta trocar o conversor (ou acrescentar um novo módulo no conversor existente).

 

Dependendo do projeto, o custo inicial pode até ser maior, mas a versatilidade alcançada com essa solução, que atenderá facilmente qualquer tipo de expansão futura sem a necessidade de obras de infraestrutura, certamente compensará o investimento feito.

Na parte 3 daremos início à um projeto com fibra óptica, escolhendo os conversores adequados

 

 

 

Este artigo foi escrito com a colaboração da Fiberwan

Dez/2015

Quer saber quando novos artigos serão publicados?

Enviando formulário…

O servidor encontrou um erro.

Formulário recebido.

Gostou deste artigo? Deixe um comentário!

comments powered by Disqus

Copyright ©2014 Instituto CFTV - Todos os direitos reservados

Conforme a Lei 9.610/98, é proibida a reprodução total ou parcial deste site por qualquer meio e para qualquer fim, sem autorização prévia do autor.