Person of Interest

 

Por Eng. Claudio de Almeida

 

"Você está sendo vigiado. O Governo possui um sistema secreto, uma máquina que espia você a todo o momento. Sei disso porque fui eu quem a criou.

Eu a desenvolvi para encontrar atos de terrorismo, mas ela encontra tudo. Crimes violentos envolvendo pessoas normais, como você.

Crimes que o governo considera irrelevantes. Eles não fariam nada, então decidi fazer.

Mas eu precisava de um parceiro. Alguém com habilidades para interferir.

Caçados pelas autoridades, trabalhamos em segredo. Você nunca nos encontrará.

Mas, vítima ou criminoso, se o seu número for escolhido, encontraremos você."

 

Essa é a mensagem de abertura da série de televisão norte americana Person of Interest, lançada em 2011, que agora vai entrar em sua 4ª temporada. No Brasil é transmitida pelo canal por assinatura Warner Channel e pelo canal aberto SBT.

 

Mas por que eu estou comentando sobre uma série de TV em um site especializado em CFTV? Por causa do sofisticadíssimo sistema de vigilância em que essa série se baseia.

 

Enredo

 

Preocupado com novos ataques terroristas que possam ocorrer após a atentado de 11 de setembro, o governo americano contrata um especialista em software para desenvolver um programa de computador que prevê a identidade de pessoas ligadas a crimes violentos – incluindo atentados terroristas – que poderão acontecer em um futuro próximo.

 

Diariamente, esse programa gera uma lista com os SSNs (Social Security Number — equivale ao nosso CPF) dessas pessoas. Só que ele não consegue determinar se a pessoa será vítima ou agressor, nem quando ou onde o crime vai acontecer. E o governo americano investiga apenas os suspeitos de atentados terroristas, ignorando os outros números dessa lista.

 

Incomodado em saber que esses outros tipos de crimes também poderiam ser evitados, esse especialista instala na máquina um software backdoor, que lhe passa uma cópia desses números. Incapaz de parar os crimes por conta própria, ele contrata um ex-boina verde e agente de campo da CIA — daqueles que batem em meia dúzia sozinho — para ajudá-lo a impedir os crimes em Nova York.

 

O Sistema

 

O interessante da série é como esse sistema funciona. O software monitora os mais de 8 milhões de pessoas que moram em Nova York, acessando tudo que estiver conectado à algum tipo de rede:

 

- Câmeras de rua;

 

- Webcams;

 

- Câmeras de empresas;

 

- Câmeras de tráfego;

 

- Informações de acesso ao transporte público, empresas, etc.;

 

- Localização dessas pessoas através do GPS do celular;

 

- Informações de áudio. De acordo com a série, é possível ativar remotamente o microfone do seu celular e ouvir todos os sons à sua volta, bastando para isso que seu celular esteja ligado;

 

- Bancos de dados, para coletar informações bancárias, pessoais, etc.;

 

- Redes sociais. O especialista até comenta que o Facebook é sua melhor ferramenta, pois lá as pessoas se identificam espontaneamente, publicam fotos, contam tudo sobre suas vidas...

 

Cruzando e processando internamente todas essas informações, o sistema consegue saber onde cada pessoa esteve e com que se relacionou. Se encontrar alguma atitude suspeita, coloca o número dessa pessoa na lista.

 

A parte mais genial desse sistema é que ele faz tudo isso sem invadir a privacidade de ninguém, pois sua única saída é essa lista de números; não há nenhum monitor de vídeo ligado a ele, não emite nenhum relatório de acesso, nenhuma gravação, nada que possa comprometer ou que possa ser usado contra alguém. Ou seja, ele não permite nenhum "acesso humano" aos dados coletados no processo.

 

Quando a Vida Imita a Arte

 

Reparem que Person of Interest foi lançada em 2011. A pesquisa feita e visão de futuro do criador dessa série são impressionantes. Mas ainda é uma utopia. Já vi várias evidências de que estamos caminhando para essa coleta e cruzamento gigantescos de informação. Porém, infelizmente, ainda sem proteger nossa privacidade:

 

- Em uma palestra que assisti na ISC Brazil 2014, um fabricante de software VMS informou que seu sistema está monitorando 40.000 câmeras em Nova York, sendo que apenas 2.000 delas pertencem ao poder público;

 

-  No Porto de Santos, a Alfândega utiliza um software VMS para acessar cerca de 1.500 câmeras das empresas portuárias, fiscalizando a carga e descarga e o acesso às áreas de cais;

 

- Uma reportagem da revista Times intitulada "EUA obtêm milhões de fotos pessoais por dia espionando mensagens" comenta sobre como a Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos obtém a cada dia milhões de fotos pessoais interceptadas em comunicações eletrônicas e que depois utiliza em sofisticados programas de reconhecimento facial. Se quiser saber mais, veja o link da matéria original:

 

http://www.nytimes.com/2014/06/01/us/nsa-collecting-millions-of-faces-from-web-images.html?_r=3#story-continues-1

 

Ou sua versão resumida e traduzida, publicada na revista Galileu:

 

http://revistagalileu.globo.com/Tecnologia/Politica/noticia/2014/06/eua-obtem-milhoes-de-fotos-pessoais-por-dia-espionando-mensagens.html

 

- E como falar da NSA sem falar de Edward Snowden?

 

http://revistagalileu.globo.com/Tecnologia/Internet/noticia/2014/04/snowden-tecnologia-da-nsa-e-pior-ameaca-para-os-direitos-civis.html

 

- Sobre as redes sociais:

 

http://revistagalileu.globo.com/Tecnologia/Internet/noticia/2014/06/reino-unido-considera-legal-o-monitoramento-de-redes-sociais.html

 

Por isso recomendo dar uma olhada nessa série; ela nos faz pensar. Mas sugiro começar pelo primeiro episódio da primeira temporada, senão seu entendimento poderá ser prejudicado.

 

Mar/2015

Quer saber quando novos artigos serão publicados?

Enviando formulário…

O servidor encontrou um erro.

Formulário recebido.

Gostou deste artigo? Deixe um comentário!

comments powered by Disqus

Copyright ©2014 Instituto CFTV - Todos os direitos reservados

Conforme a Lei 9.610/98, é proibida a reprodução total ou parcial deste site por qualquer meio e para qualquer fim, sem autorização prévia do autor.