Fontes redundantes

 

Por Eng. Claudio de Almeida

 

É sábado à noite. Você está em um barzinho cercado de amigos aproveitando esse merecido descanso.

 

Lembra que a a semana foi dura, mas que não pode se queixar, sua empresa está indo bem, bastante serviço, e o melhor: Sua equipe conseguiu resolver todas as pendências da semana antes do final de semana. Agora é só relaxar e se divertir.

 

Até que seu telefone toca.

 

Você reconhece o número. É de um cliente. Lá se vai seu sábado...

 

Você atende e seu cliente está desesperado, diz que tem um monte de câmeras sem imagem, que você precisa enviar alguém o mais rápido possível, etc.

 

Após algumas perguntas, você percebe que todas as câmeras que estão sem imagem estão ligadas à mesma fonte. Então deve ser problema na fonte.

 

Você promete mandar alguém o mais rápido possível e começa a ligar para seus técnicos. Finalmente consegue falar com um deles e convencê-lo a atender o cliente.

 

Mas antes ele precisa passar na sua empresa para pegar uma fonte para substituir a defeituosa e só você tem a chave.

 

Você se desculpa com seus amigos e vai para sua empresa esperar o técnico.

 

Ele pega a fonte, vai até o cliente, que não é muito perto, substitui a fonte defeituosa e as câmeras voltam a funcionar.

 

Medindo o prejuízo:

 

- Seu cliente ficou sem sistema de CFTV por cerca de 3 horas, o que não o deixou nada satisfeito. E se alguém resolvesse invadir o local exatamente naquele momento?

 

- Estragou seu sábado;

 

- Estragou o sábado do seu técnico;

 

- Prejuízo financeiro: Horas extras do técnico, quilometragem do carro dele, seu combustível, etc.

 

Isso tudo poderia ser evitado, de uma forma muito simples e barata, utilizando-se fontes redundantes.

 

Não, não estou sugerindo que você deva instalar em todas suas obras aquele sistema caríssimo de fontes redundantes automáticas, que até podem ser trocadas sem desligar o equipamento (hot-swap), muito comuns em servidores.

 

Minha solução é bem mais barata e nada automática mas, ainda assim,  bastante eficiente.

 

Tudo que você vai precisar é de:

 

1) Uma chave alavanca, de dois polos, duas posições, como o modelo abaixo:

 

 

Não utilize chaves baratas, pois não vão suportar a corrente de saída da fonte. A da foto, por exemplo, suporta até 15 A.

 

2) Duas fontes de alta capacidade de corrente, de preferência idênticas.

 

3) Uma lampada 12 V ou um LED

 

Para monitorar a tensão de saída das fontes.

A montagem

 

Interligue as 2 fontes conforme o diagrama abaixo:

 

1                                                          2

 

1 - Instale as 2 fontes dentro de uma caixa metálica, de preferêncai padrão rack 19".

 

2 - Interligue o os bornes de Terra das 2 fontes com o terra do DVR e o ponto de aterramento do local (fio verde);

 

3 - Interligue os bornes Neutro das 2 fontes com o fio Neutro da entrada da rede (fio marrom);

 

4 - Interligue os bornes COM das 2 fontes com o negativo da saída 12 Volts que vai alimentar as câmeras (fio preto);

 

5 -Faça 2 furos no painel frontal da caixa metálica;um para a chave alavanca e o outro, ao lado, para a a lampada;

 

6 - Interligue o borne L da fonte 1 com o pino 1 da chave alavanca (fio azul);

 

7 - Interligue o borne L da fonte 2 com o pino 3 da chave alavanca (fio azul);

 

8 - Conecte o pino 2 da chave alavanca ao Fase da Entrada AC (fio azul);

 

9 - Interligue o borne +V da  fonte 1 com o pino 4 da chave alavanca (fio vermelho);

 

10 - Interligue o borne +V da  fonte 2 com o pino 6 da chave alavanca (fio vermelho);

 

11 - Conecte o pino 5 da chave alavanca ao positivo da saída 12 Volts que vai alimentar as câmeras (fio vermelho);

 

12 - Conecte uma lampada 12 Volts entre o positivo e negativo da saída 12 Volts. Também pode ser um LED com um resistor de 470 ohms em série.

 

Utilizei fontes colmeia no exemplo acima porque seus bornes ficam bem visíveis, o que facilita o entendimento das conexões, mas pode ser qualquer  qualquer tipo de  fonte que atenda a capacidade de corrente que você necessita.

 

Operação

 

Em operação normal, a chave fica virada para a esquerda, como está no diagrama acima , deixando a fonte 1 sempre energizada.

 

A fonte 2 fica desligada, como reserva.

 

Reescrevendo o final da historia acima

 

Veja agora como ficaria a história acima com essa solução de fonte redundante (a parte que mudou está em itálico).

 

É sábado à noite. Você está em um barzinho cercado de amigos aproveitando esse merecido descanso.

 

Lembra que a a semana foi dura, mas que não pode se queixar, sua empresa está indo bem, bastante serviço, e o melhor: Sua equipe conseguiu resolver todas as pendências da semana antes do final de semana. Agora é só relaxar e se divertir.

 

Até que seu telefone toca.

 

Você reconhece o número. É de um cliente.

 

Você atende e seu cliente está desesperado, diz que tem um monte de câmeras sem imagem, que você precisa enviar alguém o mais rápido possível, etc.

 

Após algumas perguntas, você percebe que todas as câmeras que estão sem imagem estão ligadas à mesma fonte. Então deve ser problema na fonte.

 

Você pede ao seu cliente que vá até a sala de segurança e que procure no rack um painel com uma  chave liga-desliga e  uma lampada:

 

- Ok, achei.

 

- A lampada está acesa?

 

- Não.

 

- Então ligue a chave.

 

- Já liguei.

 

- A lampada acendeu?

 

- Acendeu.

 

- As imagens das câmeras voltaram?

 

- Voltaram! Puxa! Que rápido! Achei que ia ficar sem sistema por várias horas...

 

Você se despede e volta a conversar com seus amigos.

 

Um final bem diferente, não?

 

Seu cliente ficou satisfeito com a sua eficiência, pois resolveu  rapidamente o problema; você não estragou seu fim de semana e nem precisou incomodar seu técnico.

 

Tudo isso com apenas mais uma fonte e uma chave alavanca, que custam bem menos do que custaria uma visita técnica em um sábado à noite.

 

Explicando o  que aconteceu

 

Quando você percebeu que podia ser a fonte, pediu para seu cliente ver se a lampada estava apagada.

 

Se ela estava apagada, era sinal de que a fonte 1 parou de funcionar (sem tensão na saída).

 

Quando você pediu para ele ligar a chave,  a fonte 1 foi desligada, ligando a fonte 2 , que passou a fornecer tensão para as câmeras, que voltaram a funcionar e a lampada voltou a acender.

 

É claro que isso é um paliativo, serviu para atender o cliente rapidamente naquele momento crítico, mas o fato é que a fonte 1 ainda precisa ser substituída.

 

Mas isso pode ser feito depois, durante a semana, quando seu técnico calhar de passar perto da obra, em horário normal de expediente.

 

Quando a fonte 1 for substituída, retorne a chave para a posição original.

 

Outra vantagem desse sistema é que a fonte 1 pode ser substituída sem precisar desligar a alimentação das câmeras.

 

Sofisticando um pouco mais

 

Substitua a chave por  um relé 12 VDC de 2 polos 2 posições.

 

Conecte a bobina do relê em uma das saídas de alarme do DVR.

 

Agora, ao invés de pedir para o cliente ligar a chave manualmente, você acessa o DVR através de seu smart phone e ativa a saída de alarme onde está ligada a bobina do relê.

 

Ao ser energizado, o relé desligará a fonte 1 e ligará a fonte 2, fazendo com que as câmeras voltem a funcionar.

 

Isso com certeza deixará seu cliente maravilhado.

 

Mas também recomendo deixar uma chave simples para comandar o relé manualmente, caso você não consiga se conectar com o DVR..

Mar/2016

Quer saber quando novos artigos serão publicados?

Enviando formulário…

O servidor encontrou um erro.

Formulário recebido.

Gostou deste artigo? Deixe um comentário!

comments powered by Disqus

 

 

Copyright ©2014 Instituto CFTV - Todos os direitos reservados

Conforme a Lei 9.610/98, é proibida a reprodução total ou parcial deste site por qualquer meio e para qualquer fim, sem autorização prévia do autor.